Conhece a taioba?

Se formos comparar com a maioria dos países, a verdade é que nós brasileiros usamos no dia-a-dia uma variedade enorme de legumes e verduras. Mas, ainda assim, às vezes redescubro algum ingrediente e me pergunto: por que não o utilizamos com mais frequência?

Foi isso que pensei outro dia com relação à taioba. Já ouviu falar? É um dos nomes que pode ter a planta de nome científico Xanthosoma sagittifolium Schott – que ainda é conhecida por orelha-de-elefante (principalmente como planta ornamental), macabo, mangarás, mangará-mirim, mangareto, mangarito ou yautia. A taioba é uma folha originária da América Central e que, aqui no Brasil, é um pouco mais popular nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia.

Pois então, nesses últimos dias estive no espetacular Le Gite d’Indaiatiba, do francês Olivier Corta e sua mulher Valeria Menezes. Trata-se de um restaurante que também funciona como pousada e fica encravado na Mata Atlântica, a 16 km de Paraty. A idéia é a seguinte: você chega e, antes de sentar para comer, toma um banho de cachoeira, ou experimenta um caipirinha de frutas tropicais. À mesa, o maior clássico do local são os raviólis que, em vez da massa, são feitos com… folha de taioba! Isso para não falar da torta de palmito, castanha de caju e roquefort; da musse de chocolate branco com coulis de pitanga e pistache ou das outras tantas delícias, tão maravilhosas quanto o lugar.

Para você não ter a desculpa de que não usa a folha de taioba porque não sabe o que fazer com ela, segue aí abaixo uma receita que já servi no Carlota, com camarões. A folha também combina muito bem com carne de porco, e uma vez provei uma trouxinha recheada de palmito que ficou ótima. Experimente e veja se não valia a pena popularizá-la!

Blog_taioba


Camarão grelhado com taioba, shiitake e aspargos
Rendimento: 6 porções

Ingredientes:
24 camarões limpos grandes, com a cauda
24 aspargos (cortar a ponta dura e o restante no meio, na diagonal)
36 shiitakes pequenos (4 a 5 cm de diâmetro) sem o talo
3 xícaras de taioba (folhas rasgadas e o talo picadinho)
ciboulette picada em talos de 5 cm

Ingredientes para o molho:
1 xícara de saquê
½ xícara de molho de ostra
¼ xícara de molho de peixe
¼ xícara de mel
¼ xícara de mostarda Dijon
1 colher de chá de gengibre bem picado

Ingredientes para o arroz Basmati:
2 xícaras de arroz Basmati
2 colheres de sopa de óleo vegetal
3 xícaras de água
sal
arroz selvagem frito para decorar
1 xícara de mix de castanhas picadas grosseiramente

Preparo:

Molho
1. Misturar bem todos os ingredientes. Reservar.

Arroz
1. Prepare o arroz basmati normalmente, refogando, acrescentando a água e o sal. Cozinhe em fogo bem lento.
2. Misture com as castanhas na hora de servir, decore o bowl de arroz com os crisps de arroz selvagem.

Finalização
1. Coloque os aspargos no vapor por cerca de 4 minutos (4 partidos ao meio por porção), depois acrescente os camarões também no vapor (4 por porção) e deixe mais 4 minutos. Aqueça um fio de azeite em uma frigideira, acrescente os aspargos, os camarões e os shiitakes (6 por porção). Acrescente sal e pimenta. Reserve.
2. Salteie no azeite, bem rapidamente,1/2 xícara de folhas de taioba por porção.
3. Disponha a taioba no centro do prato retangular branco. Coloque por cima os aspargos, paralelamente, e depois os camarões. Os shiitakes vão ao redor. Finalize com o molho ao redor da montagem e com talos de ciboulette dispostos sobre a montagem do camarão.
4. Sirva acompanhado do bowl de arroz basmati com castanhas.


Posts Relacionados

  • O queijo fajutoO queijo fajuto Vi recentemente no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, uma reportagem sobre a produção de queijos na Grã-Bretanha. Apesar de não terem tanta […]
  • Rio de Janeiro: aquele abraçoRio de Janeiro: aquele abraço O Rio de Janeiro continua lindo. O Rio de Janeiro continua sendo. Alô, alô Realengo, aquele abraço. E vamos acabar com essa história […]