De boa na Gamboa

Blog_Gamboa

A primeira parada do Carlota Prenda Minha – por enquanto um projeto de videocasts de viagens e descobertas culinárias – foi em Santa Catarina. Fui fazer pesquisa na charmosa e paradisíaca praia da Gamboa. É a última do município de Garopaba, ao norte, e fica a cerca de 60 km de Florianópolis.

Apesar do clima mais frio, escolhemos essa época por ser de pesca da Tainha (junho e julho), o que é um capítulo à parte e vai render outro post! Mas vou colocar aqui as dicas para quem resolver passar férias por lá. Eu já estou pensando em quando vou conseguir voltar, dessa vez com mais tempo.

A Gamboa é uma vila de pescadores super pequena. Para vocês terem uma ideia, são cerca de 400 habitantes fixos que, no verão, chegam a 1.200. A estrutura é muito simples, engloba posto de saúde, escola municipal, dois mercados e quatro bares, todos no canto da praia, que tem cerca de 2 km – caminhar por ela é uma delícia.

O restaurante da Dezinha fica aberto o ano todo. Serve uma comida simples: arroz, feijão, salada variada, alguma verdura cozida, batata frita e, claro, frutos do mar. Na época da pesca da tainha, não dá para deixar de pedi-la. E o atendimento dela é muito atencioso.

O Canoas Bar fica na beira da praia, logo na chegada. Abre aos finais de semana, durante o ano, e todos os dias no verão. Serve petiscos e cerveja gelada, além de outras bebidinhas, e é ponto de encontro tanto de dia quanto de noite.

O Coiote, o outro bar da praia, quase não tem comida, mas tem sucos naturais, uma cachacinha de butiá que é uma delícia e um espetinho de camarão que também é ótimo. Este é o boteco dos pescadores, onde eles se reúnem para esperar os gritos dos olheiros da tainha e fazer fofoca. Aliás, soube que é inversamente proporcional: quanto menos peixe, mais fofoca! Vou contar mais da Tainha pra vocês logo mais…

Para ter informações sobre a estrutura da praia, pousadas, e outros serviços, dá uma olhada nos sites www.nagamboa.com.br e www.gamboaonline.com.br.


Posts Relacionados

  • A hora da tainhaA hora da tainha Estamos em plena época da pesca da tainha. Lá na praia da Gamboa, sobre a qual falei no post anterior, o movimento num dia bom chega a […]
  • Nem tudo que reluz é caviarNem tudo que reluz é caviar Falando uns dias atrás da viagem à Rússia e do hábito do zakuski, apareceu na conversa, assim como quem não quer nada, o caviar. A […]