Wikipedia de receitas, faz sentido?

blog_wiki

Dos antigos livros de receitas, de folhas amarrotadas, que passavam de geração em geração, à invasão de sites que prometem fazer de qualquer pessoa um chef não se passaram muitos anos. Com o uso mais massivo da Internet, tenho visto surgir ultimamente uma nova fase das receitas online: a popularização de páginas que permitem que vários usuários modifiquem uma mesma receita, de acordo com as suas experiências. Ou seja, o conceito Wiki, aplicado à culinária.

Um texto recente publicado no The New York Times conta a história de alguns sites norte-americanos que criaram banco de receitas mutáveis, reforçando a ideia de que “milhares de cozinheiros podem chegar a uma receita melhor do que um único chef”.

No Cookbook do Wikipedia, por exemplo, em uma receita de tabule, a quantidade de trigo cru foi alterada várias vezes por diferentes cozinheiros. Como saber qual a melhor receita e quem estava correto? O site Foodista.com é outro que aceita o experimentalismo dos usuários, mas também permite que os colaboradores “travem” suas receitas.

Assim como acontece com a maioria das coisas que lemos no Wikipedia ou em qualquer página da rede, temos que ter sempre um pé atrás e ficar atentos para ver se a informação é realmente confiável. Obviamente que nesse contexto também surgem as brincadeiras – ou o vandalismo – na web. O mais comum, segundo a matéria, é a troca de ingredientes por fluidos corporais (para dizer algo mais bonitinho).

O acesso a esses sites aumentou bastante nos últimos tempos, mas talvez esteja longe de competir nos Estados Unidos com o do Epicurious, que disponibiliza quase 30 mil receitas, inclusive de veículos de renome, como as revistas “Bon Appétit” e “Gourmet”, e ainda autoriza comentários e postagem de receitas por parte dos internautas.

Quis trazer este tema e sugerir a leitura do texto do NYTimes para refletirmos sobre como os novos recursos tecnológicos estão alterando a ideia de criação, originalidade e conhecimento coletivo. Na minha opinião, tal qual a música, receita, com o tempo, cai no domínio público. Mas… não custa buscarmos seu autor (e se possível, darmos o crédito), sem nos esquecermos também que cada prato tem sua própria história de vida.


Posts Relacionados

  • Chef flambado pelo NYTimesChef flambado pelo NYTimes Nem bem a cidade tenta voltar ao normal depois do furacão Sandy, a grande celeuma local da semana fica por conta das alfinetadas entre um […]
  • Vai deixar saudadesVai deixar saudades Estou chocada até agora. Li que a mais importante - e confiável, e respeitada - revista de gastronomia dos Estados Unidos, a Gourmet […]