TOP 10 NY? Para comer e beber

A ideia era fazer alguns top five insider de Nova York, já que me sentia cada vez mais em casa por aqui. Só que eu não consegui parar de anotar lugares e programas bacanas, e o que seria meu primeiro top 5, sobre restaurantes e comidinhas, logo virou um top 10. Pensando bem, pra uma cidade desse tamanho, um top 10 cai melhor mesmo… A sensação de estar em casa acontece mais precisamente quando vagueio pela minha vizinhança, um pedaço de Manhattan entre os bairros de Greenwich Village, Gramercy Park e Flatiron District. Nesse quadrado mágico, o que mais encontro são restaurantes e sabores incríveis. Vou indicar alguns deles, que já entraram pra minha lista de preferidos.

Top 10 para comer e beber:

Minetta Tavern - mistura de steakhouse parisiense e clássica taverna novaiorquina, desde 2008 comandada pelos mesmos sócios dos sucessos Balthazar, Pastis e Schiller’s, em Greenwich Village

Maiolino – trattoria italiana, do restaurateur Danny Meyer. Fica dentro do Hotel Gramercy

Barbuto - o chef Jonathan Waxman se associou ao fotógrafo Fabrizio Ferri, dono do Industria Superstudio, e montou no andar de baixo esse restaurante de cozinha italiana rústica. Esse point no West Village é freqüentado por estilistas, modelos, designers e editores. Tem comida deliciosa, ambiente aconchegante e agradável, tudo sem frescuras.

Savoy – pioneiro do movimento agora denominado locavore, a cozinha de Peter Hoffman utiliza desde 1990 produtos locais e ingredientes sazonais. No Soho, o Savoy é um ótimo pit-stop entre as compras.

Eataly – o esperado entreposto do chef Mario Batali que, em parceria com Joe Bastianich, abriu na abriu na Fifth Avenue (perto da Union Square) o maior mercado gastronômico do mundo, com uma área de 3 mil metros quadrados, repleta de lojas de comida e restaurantes. Existem filiais em Milão, Bolonha, Tóquio, além do espaço original, em Turim.

Maple e seus derivados – desde o delicioso marshmallow até o açúcar granulado feito com esse xarope.

Scallion microgreens – gostei muito desses brotinhos orgânicos. São saborosos e nutritivos e combinam muito bem em saladas e sanduíches.

Sorvete de mochi – um bolinho de arroz japonês recheado com sorvete, nos sabores chá verde, morango e baunilha.

Chás gelados – adorei a praticidade: eles já vêm prontos e têm uma variedade enorme de marcas e sabores.

10 dólares por cabeça – pizzas, cheeseburgers e mac and cheese (macarrão com queijo) estão super na moda ? as always… Assim como lojas de cafés e capuccinos, tudo com wi-fi, como deveriam ser todas por aqui. Esses programinhas rápidos acabam saindo sempre pelos magic numbers de 10 dólares por cabeça!


Posts Relacionados

  • Minhas dicas portenhasMinhas dicas portenhas Já andamos passeando por Nova York, pela Califórnia e por Milão por meio de dicas dadas por mim mesma ou por alguém em cuja opinião […]
  • Istambul para comer, por Patrícia Moll NovaesIstambul para comer, por Patrícia Moll Novaes Patty carrega no DNA o que devia ser pré-requisito para qualquer jornalista: uma imensa curiosidade sobre tudo. Mas se tem um assunto […]