Top baratuco


Como estou ficando craque nesse negócio de listas, vide os últimos posts sobre os melhores de Nova York, Califórnia e São Francisco, resolvi fazer uma seleção dos meus queridos baratucos da semana – daqui de São Paulo mesmo. Quem acompanha minhas dicas na MitFM, já sabe que os baratucos são aqueles restaurantes onde se come bem e se paga pouco ou, pelo menos, não se gasta muito. Anotem aí esses nomes e endereços de lugares para se ir em tempos de vacas magras, mas sem sair deles parecendo uma.

Monte Líbano
O Monte Líbano é um restaurante árabe escondidinho no primeiro andar de um prédio comercial na região da 25 de março. Desde 1973 a cozinha do pequenino salão é comandada pela mesma pessoa: a libanesa Alice Maatouk. Sua especialidade é o quibe michui, uma bola de massa de trigo, um pouco achatada, assada na brasa e recheada com carne e pinoli. Outros hits do Monte Líbano são o falafel, a linguiça árabe e o charuto de folha de uva. A coalhada seca também é de babar. Em média você vai gastar uns R$ 30 e ainda tem a alternativa de rodízio por R$ 32,50 por pessoa. Dona Alice chegou ao Brasil em 1958 e logo conseguiu uma vaga na cozinha do Almanara. Foi lá que ela exercitou o seu talento até abrir o Monte Líbano. (R. Cavalheiro Basílio Jafet, 38/ 1º andar, Centro, tel.: 11 2229-4413)

Segredos de Minas
Trata-se de um restaurante daqueles familiares, na esquina das ruas Luís Coelho e Bela Cintra. Quem guarda os segredos da casa muito bem guardadinhos é o mineiríssimo Rafael Ribeiro, proprietário e cozinheiro de mão cheia. Foi com a mãe dele lá em Senador Firmino, zona da mata de Minas, que ele aprendeu diversas das receitas que serve hoje no restaurante. Uma delas é a mexida mineira que leva carne de sol, feijão, arroz, ovo, banana, torresminho e couve. Os pratos são todos bem fartos e servem de 2 a 3 pessoas. A mexida sai por R$ 47 e o Rafael garante que dá para três pessoas tranquilamente. A casa serve todos os pratos típicos mineiros, como a vaca atolada, o obrigatório leitão à pururuca e aquela bistequinha caprichada que vem com tutu de feijão, arroz, couve e torresmo. O doce de leite, a goiabada e a cocada cremosa o Rafael traz diretamente de Senador Firmino. Os doces variam entre R$ 4,10 e R$ 4,50. (R. Bela Cintra, 919, Cerqueira César, tel.: 11 3214-5315)

Voa lá
O Voa Lá é um verdadeiro oásis no bairro do Bom Retiro, onde a gente costuma bater perna para achar um local bom e barato. A cozinha é contemporânea, com pratos ótimos na base dos R$ 20. O ambiente é supercharmoso com bancos de almofadas coloridas e lustres rebaixadinhos.  A supercriativa chef Josy Peres dá um jeito de modificar o cardápio todos os dias sempre servindo uma opção de prato vegetariano, uma massa e uma carne. O único prato fixo é o escalopinho de mignon, que vem com batata assada e legumes, simples e no ponto certo. Terças e quintas são dias de truta, servida sempre com um molho diferente (pode ser limão, maracujá ou de azeite de alcaparras). Sexta-feira é dia de salmão. De sobremesa, torça para ser o dia de pudim de cardamomo ou de sopa de manga com xarope indiano. Uma boa também é aproveitar o “combo da semana”, por R$ 16. Ele inclui entrada, prato principal, sobremesa e dá direito ainda a uma bebida que pode ser chá gelado ou água aromatizada. (R. Lubavitch, 103, Bom Retiro, tel.: 11 3333-4913)

Restaurante Escola São Paulo
Ele fica na Esplanada da Câmara Municipal e serve opções incríveis de pratos muito bem cuidados a preços mais do que acessíveis. Há sempre uma sugestão do dia, que sai por R$ 16,80 (entrada e prato principal, sem sobremesa). A entrada costuma ser uma ótima saladinha de folhas verdes com queijo. Já de prato principal, carne, massa ou risoto. O salmão com molho de maracujá e julienne de legumes é de raspar o prato. Não faltam opções no cardápio fixo, como a cestinha de carne seca acompanhada de risoto à parmegiana, por R$ 25, ou o medalhão de filé com redução de vinagre balsâmico que vem com legumes, por R$ 33. O mais bacana é que o restaurante é uma parceria entre a Prefeitura, a Câmara e a Fundação Jovem Profissional para a formação de jovens de baixa renda entre 17 e 20 anos. Desde 2004, o projeto já formou mais de 700 profissionais, sendo que 80% deles ingressaram no mercado de trabalho. (R. Santo Antônio, 203, Bela Vista, tel.: 11 3115-1101)

Goa
O Goa é um restaurante vegetariano dedicado à gastronomia natural que oferece um almoço gostoso e barato, em um ambiente muito simpático. O menu completo sai por R$ 21, incluindo entrada, prato principal e sobremesa. A entrada normalmente é uma salada ou uma sopa, sempre acompanhada de um delicioso pão integral, que você pode repetir quantas vezes quiser. Depois vêm três opções de prato principal. Uma delas é sempre um prato de massa e você pode pedir mais meio prato se estiver esfomeado. Outra atração da casa são os sucos naturais cheios de misturas criativas, como tangerina com gengibre, goiaba com uva verde ou erva cidreira com abacaxi. O Goa tem ainda uma área com produtos orgânicos naturais ou para quem tem restrições alimentares. Para acabar uma refeição, nada mais saudável do que dar uma esticadinha nas redes que ficam no andar de baixo. (R. Cônego Eugenio Leite, 1152, Pinheiros, tel.: 11 2894-0938)

Kebabel
O Kebabel é uma kebaberia com espírito de bar. Eles abriram uma filial em Pinheiros, na rua João Moura, que segue a receita de sucesso da matriz e oferece uma extensa carta de cervejas para acompanhar os kebabs (todos deliciosos e super em conta). Indico o “kebab de cordeiro”, que vem no pão pita com salada de salsa, hortelã, picles, tomate e molho de tahine (R$17,50). Mas se você quiser um mais baratuco ainda, eles têm o “kebab de couve-flor” também servido no pão pita com tomate, limão e molho tahine. E têm ainda os de pastas, que pode ser com homus, babaganuch ou coalhada seca e custam só R$ 9,90. Outra atração é a hora do falafel, entre 18h e 19h: quem pedir um falafel, ganha outro. Ideal para a happy hour. (R. João Moura, 871, Pinheiros, tel.: 11 3062-7530)


Posts Relacionados