Minhas dicas portenhas

Já andamos passeando por Nova York, pela Califórnia e por Milão por meio de dicas dadas por mim mesma ou por alguém em cuja opinião eu confio tanto que passo para frente como se fosse a minha própria.
Pois agora, depois de mais uma viagem deliciosa a Buenos Aires, chegou a hora de recapitular algumas atrações que eu considero imperdíveis dessa capital tão deliciosamente próxima do nosso país.
Então, faça aí suas anotações, navegue pelos sites y buen viaje!

Restaurantes
Engana-se quem pensa que, na Argentina, só o que você vai encontrar é carne (embora isso se encontre e muito, e da melhor). A cena gastronômica de Buenos Aires tem de tudo:

Oui Oui
Nicaragua, 6099
– Um exemplo bacana da variedade e criatividade que hoje toma conta dos restaurantes é esse bistrozinho simples e descolado em Palermo. Fica aberto desde as 8 da manhã até as 9 da noite, mas o legal mesmo é aproveitar o almoço.

Paraje Arévalo
Arévalo, 1502 esquina com Cabrera
– Outro bistrozinho que é um sucesso total em Palermo Hollywood. São os proprietários que comandam a cozinha. No almoço, há duas opções de preço fixo – um a 30 e outro a 40 pesos – e, de noite, o que impera é o menu-degustação, em versões de seis passos (80 pesos) ou oito passos (110 pesos).

Meraviglia
Gorriti, 5796, esquina com Carranza
– Quem vai a Buenos Aires precisa de pouco para perceber que o bairro de Palermo anda com tudo quando o assunto é gastronomia. A quantidade de opções é assustadora e, entre elas, as que são de altíssima qualidade não são poucas. Este restaurante com pegada saudável se orgulha da origem de seus ingredientes e trata de provar seu valor com um almoço que é delicioso.

Las Cabras
Fitz Roy, 1795 esquina com El Salvador
– Aqui tudo tem cara de caseiro. Os pratos são feitos na parrila, no forno a lenha ou cozidos em caçarolas enormes. Tudo bem típico argentino. As costelinhas de porco fazem a fama.

Tegui
Costa Rica, 5852

- A ideia aqui já é outra, mais requintada. O badalado chef Germán Martitegui, proprietário do Casa Cruz e do Olsen, inaugurou esse novo restaurante, onde não tem pudor em misturar tendências e tradições, com resultados deliciosos.

Sudestada
Fitz Roy, esquina com Guatemala
– O nome simpático se refere ao fato de que a casa é especializada na cozinha do sudeste asiático – o que, para mim, é algo mais do que tentador. Para se esbaldar nos bolinhos de Singapura, woks caprichados e principalmente o nem cua, uns rolinhos vietnamitas de carne de porco e camarão.

El Pobre Luis
Arribeños, 2393
– Para não dizer que não falei de carnes, fica a lembrança dessa parrila nota dez no charmoso bairro de Belgrano. Um lugar perfeito para se acabar em bifes de chorizo, asados de tira, corderos, mollejas


Costa Rica, 6000
– Uma das novidades mais comentadas da cidade, esse endereço em Palermo não é apenas mais um (excelente) restaurante japonês, mas com um quê de bistrô francês. O ambiente descolado e as invencionices sobre pratos típicos japoneses vão fazer os tradicionais torcer o nariz, mas, para quem gosta de coisa moderna, é um lugar imperdível.

El Almacén de los Milagros
Av. Quintana, 201
– Um restaurantezinho francês que serve comida de bistrô e que vai ser o complemento perfeito para o seu passeio pelo bairro da Recoleta. O almoço é para uma refeição mais rápida, mas, à noite, a pedida é um belo menu-degustação de quatro passos.

Bares

Não é tarefa fácil encontrar um povo que goste mais de sair à rua do que o portenho. Então, além dos restaurantes, é gostoso demais conhecer alguns barzinhos caprichados que embalam a noite de Buenos Aires:

Isabel
Uriarte, 1664
– Ao lado do restaurante Casa Cruz, no coração de Palermo, esse bar lindo desenhado pelo Juan Santa Cruz se tornou um dos lugares mais badalados da cidade para se tomar um coquetel e ouvir música, seja antes ou depois do jantar (a casa abre às 21h).

878
Thames, 878
– Você toca a campainha e o que encontra é um lugar aconchegante, com luz baixa, poltronas confortáveis e sem exagero na badalação. Dá a sensação de se estar chegando a algum lugar secreto (e muito agradável).

Vinhos
Para quem gosta de vinho, a excelência que atingiram os vinhos argentinos nas últimas décadas é uma bênção. A lista de bodegas destacadas passa por algumas marcas que estão se tornando celebridades do mundo do vinho, como a Catena, a Pulenta e a Família Zuccardi – que também tem uma linha muito boa de azeites.

E se você acha que os bons vinhos argentinos se limitam à região de Mendoza, prepare-se para conhecer rótulos deliciosos da província de Salta, ao norte do país, já perto da Bolívia. Provei o Torrontés e o Malbec da bodega San Pedro de Yacochuya e recomendo!


Posts Relacionados

  • Mi Buenos Aires queridoMi Buenos Aires querido A capital portenha faz parte de meu roteiro desde sempre. Veraneios no Uruguai, passeios na Argentina, amigos e amores. De uns anos pra […]
  • Tegui: “a” novidade na mesa de BsAsTegui: “a” novidade na mesa de BsAs Dias atrás postei por aqui o guia da minha Buenos Aires – um listão de restaurantes, bares e vinhos que andaram arrancando suspiros nas […]