Caçando cogumelos

cogumelo
Há experiências gastronômicas que se tornam inesquecíveis. Outro dia uma amiga que morou em Barcelona me contava sobre uma viagem ao mundo dos cogumelos que fez na Catalunha. E não me refiro às alucinógenas… Limito-me a descrever uma prática muito comum naquelas terras: a caça del bolet.

Para alguns catalãos, o ritual de ir até o bosque colher cogumelos é um entretenimento, como fazer um piquenique no parque, mas para outros a atividade ganha ares de coisa séria: o mapa dos melhores locais é informação secreta, passada de pai para filho; cestos e livros sobre o tema são obrigatórios nas famílias; e a caçada termina à mesa, com os cogumelos no prato principal.

O sacrifício de acordar cedo, rodar quilômetros até o melhor bosque e caminhar por horas morro acima, olhando atentamente para o chão, vale a pena. Para começar, as paisagens são espetaculares, com o sol da manhãzinha subindo entre as árvores, tudo coberto por brumas. Os iniciantes recebem orientações de como colher e distinguir os cogumelos comestíveis dos venenosos, e contam com a ajuda de livros ilustrados (dizem que a cada temporada morrem várias pessoas – desinformadas – por intoxicação). A partir daí, é partir pra caça em si.

Os mais experientes já sabem as melhores áreas dentro do bosque, onde a umidade fez seu trabalho perto dos troncos das árvores, e, em alguns minutos, conseguem lotar seus cestos de palha com cogumelos de diferentes tamanhos, formas e cores. Mas o trabalho é duro para quem está começando: há o risco de se frustrar ao só encontrar tipos venenosos, que chamam mais a atenção, ou de que as dores nas costas, de tanto agachar para ver de perto o almejado fungo, ganhem a corrida.

Se você ainda está curioso, sugiro este episódio do programa “Caçador de Bolets” (abaixo), em que os convidados fazem um passeio pelos bosques da região, descobrem diversos tipos de cogumelos, enquanto um especialista vai dando explicações técnicas sobre as variedades. Em um próximo post, farei uma relação dos cogumelos comestíveis mais utilizados no mundo e daqueles que podem ser encontrados por aqui (com uma receitinha!). Aguardem!


Posts Relacionados

  • Del mundoDel mundo Não sou de ficar me vangloriando das minhas próprias empreitadas, mas o Carlota me dá tanto orgulho há 15 anos que me sinto à vontade para […]
  • Orgia de tapas no Bar MutOrgia de tapas no Bar Mut Voltei ao Bar Mut na terça, aqui em Barcelona... está ainda melhor que da última vez. Ouriço-do-mar fresquíssimo com cubinhos de […]