Churrasquinho D’Luxo

Talvez você já tenha ouvido falar no wagyu, aquele boi preto japonês, bem nascido e tratado a pão-de-ló, com direito a ração especial, massagens e até sessões de música clássica. Folclore ou não, o fato que é tal animal gera uma carne especial, com alto grau de marmoreio (gordura entremeada na carne), adorada (e muito bem cobrada) por chefs do mundo todo. Virou iguaria e atende pelo nome de Kobe beef, e pode ser encontrada por aqui em alguns japas e churrascarias top (Varanda, Rubayat…). Mas nada disso é novidade. O “gancho” pra esse post aqui é essa matéria, à qual assisti em uma preguiçosa manhã de domingo semanas atrás. Desde os primeiros animais trazidos para cá pela empresa Yakult, em 1992, até hoje, o plantel brasileiro evoluiu para cerca de 30 mil cabeças, de aproximadamente 50 criadores, como diz a matéria. Mais uma vez o empreendedor brasileiro mostra sua capacidade.

O preço de venda no atacado pode variar muito, de cerca de 250 a até 1.500 reais o quilo. Tudo depende de seu grau de qualidade e pureza, que varia numa escala de 1 a 12. A carne do wagyu possui bastante gordura, porém pelo fato dela ser entremeada na musculatura, sofre uma reação química que “positiva” o colesterol, efeito semelhante ao que acontece no salmão, por exemplo. Detalhes técnicos a parte, o fato é que a carne é realmente muito especial e vale procurar uma oportunidade de degustá-la. Aliás, dias atrás, em Londres (conto tudo em próximo post), pedi no quarto do hotel em que estava um hambúrguer de Kobe… very posh. Mas pra quem nunca comeu, a minha dica é: já que vai investir pra conhecer a iguaria, procure por uma receita em que ela esteja crua, em sashimi ou carpaccio, por exemplo, assim, com pouca ou nenhuma interferência, você poderá sentir todo o sabor do Kobe beef. Se for na churrascaria, peça mal passada. E se a sua ideia é dar um upgrade no seu churrasco, você encontra contrafilé, picanha e ribeye de Kobe beef aqui. Só não vai queimar a carne!!


Posts Relacionados

  • El hijo del maestroEl hijo del maestro Parece que foi ontem, mas já faz 10 anos que o chef argentino Francis Mallmann estava à frente da cozinha do Figueira Rubaiyat quando o […]
  • Churrasquinho D’GatoChurrasquinho D’Gato Estive em Porto Alegre nos feriados e finalmente fui provar o tal churrasco D’Gato. Nos idos anos 80, saindo das aulas do curso de […]