Nova York, eu te amo!


Eu amo Nova York. E quem acompanha esse blog sabe disso… tenho até uma área dedicada apenas aos posts relacionados à cidade.  Mas foi depois de assistir ao videozinho abaixo – um minidocumentário que é praticamente uma carta de amor a Nova York, escrita (ou narrada) pela estilista Tory Burch, que não nasceu lá mas se apaixonou pela cidade e a escolheu para ser sua –  que resolvi, eu mesma, escrever a minha própria declaração à Big Apple.

<< Link para o Vídeo >>

Bonito o filminho, não é? Me senti a personagem central do documentário e revivi os tempos em que morei lá, fora minhas últimas visitas recentes. Pra mim é uma das cidades mais democráticas do mundo. Ao circular pelas ruas, você ouve diversos idiomas, observa vários estilos e culturas… Você  dá de cara com a vanguarda, com o que está por vir. Por ali, nada choca, nada é estranho ou deslocado. Nova York abriga o mundo.

E é incrível como a cidade que nunca para, que está sempre crescendo, evoluindo, consegue manter as coisas boas, sempre boas… ou ainda melhores! Por conta do Google, estive lá umas duas semanas atrás. Conheci novidades, mas também revisitei restaurantes e me hospedei em hotéis que adoro, constatando que continuam ótimos, com bons preços, bem freqüentados e com a mesma dedicação a um bom atendimento que sempre tiveram.

É o caso do restaurante Lucky Strike, um bistrozinho supergostoso no Soho, que segue sem a obrigação de surpreender, mas mantém as mesmas comidinhas bem feitas e honestas, drinques caprichados e ambiente agradável. E ainda no bairro, o restaurante The Dutch, do chef  Andrew Carmellini, inaugurado recentemente, é uma das novidades incríveis da cidade. O espaço é dividido entre bar, restaurante e um bar de ostras, onde você também pode combinar deliciosos drinques com ótimos camarões, entre outras delícias. Mas o que surpreende mesmo são os pratos criativos de Carmellini que misturam simplicidade e ousadia. Imperdível.

Aliás, as mãos mágicas do chef também estão  no Locanda Verde, em Tribeca, um restaurante italiano que eu amo de paixão, cujo couvert é inesquecível: um pão quentinho coberto com cebolas caramelizadas… pra comer de joelhos! Não posso esquecer de citar ainda os restaurantes coreanos e seus deliciosos frangos fritos e as hamburguerias típicas de NYC, onde você encontra, sem dúvida, os hambúrgueres mais sensacionais do planeta, como o Five Guys (a quem dedico um post exclusivo, em breve.)

Já a hotelaria – com um dos melhores serviços do mundo e seus charmosos e elegantes  bares e restaurantes –  tem grandes representantes como Crosby Street Hotel, o Thompson, o Bowery Hotel, em que me hospedo às vezes, ou que passo apenas para um drinque ou um jantar.

A minha declaração de amor a Nova York só aumenta a cada visita. Não me canso de voltar e cada vez que posso incluo a cidade em meus roteiros. É mais do que um destino turístico, é fonte de aprendizado, de inspiração. É a possibilidade de vivenciar, antes, aquilo que mais tarde vai virar tendência em todo o mundo.

**Dica de filme: O título desse post foi inspirado no filme New York, I Love You.


Posts Relacionados

  • Cinco caras e um hambúrguerCinco caras e um hambúrguer Como prometi no post anterior, quero dedicar esse texto a uma das hamburguerias mais famosas de Nova York e dos Estados Unidos, o […]
  • Fast food do bomFast food do bom Já conhecia o Pret a Manger (www.pret.com) de outras viagens, mas posso dizer que desta última vez, em Nova York, me apaixonei. É o […]