E nessa festa tem cuscuz!

"Sampa" de Afonso Lima

Quem acompanha esse blog sabe que eu já fiz inúmeras declarações de amor a Nova York, uma cidade que eu amo de paixão. Mas, por outro lado, talvez não tenha deixado muito claro por aqui que também sou apaixonada por outra cidade tão agitada e fascinante como a Big Apple. E essa cidade querida, que virou a minha cidade do coração, que recebeu essa gaúcha de braços abertos, completa 458 nesta quarta-feira, dia 25/01!

São Paulo, a terra da garoa, a paulicéia desvairada, é apaixonante por diversos motivos. Mas, puxando a sardinha pro meu lado, vou logo é falando de uma das principais e encantadoras características da cidade: sua gastronomia, com seus restaurantes sofisticados ou seus restaurantezinhos deliciosos em pequenas casinhas escondidas em alguma rua fora do circuito. É poder encontrar em uma única cidade, todos os sabores do mundo…e muito bem executados.

E não é pelo fato de se tratar de uma cidade super cosmopolita, uma das grandes metrópoles mundiais, que por aqui não se encontrem tradições e comidas tipicamente paulistas. Podemos citar várias, desde sanduíches a pratos feitos, como o Bauru ou o Virado à Paulista. Mas, sem dúvida, o cuscuz é um dos maiores representantes da tradicional culinária paulista.

Originalmente, trata-se de um prato africano, à base de sêmola moída e cozida no vapor, servido com carne ou peixe, legumes e embutidos e que deve ter chegado aqui por meio dos portugueses, que descobriram a iguaria no Norte da África. Mas há algumas outras versões bem menos nobres para a ascensão desse prato típico paulista!

Acredita-se que essa versão nasceu das marmitas que carregavam os tropeiros, que cruzavam o estado até Minas Gerais para comercializar seus produtos. No recipiente em que transportavam a comida, colocava-se farinha de milho e mandioca, guisado de frango, feijão e ovo cozido. Durante as viagens, os ingredientes se misturavam, ganhavam liga com o caldo do frango e do feijão e viravam uma “coisa” só, que mais tarde e mais bem adaptada, viraria o cuscuz paulista que tanto gostamos…

Hoje, a receita mais tradicional combina as farinhas de milho e mandioca, cozidas no vapor, com camarão ou sardinha em lata (mais comum), azeite, cebola, tomate, ovo cozido, azeitona, ervilha, salsinha, sal e pimenta-do-reino. O frango ainda aparece em algumas receitas.

Eu adoro um cuscuz e divido a minha receita favorita com vocês.


Cuscuz paulista de camarão
12 porções

Ingredientes:
Tomate em lata, 1 lata
Folhas de manjericão, ½ xícara (chá)
Óleo de milho, 200 ml
Cebola, 1
Farinha de milho flocada, 350 g
Farinha de mandioca, ½ xícara (chá)
Pupunha, 1 xícara (chá)
Ervilhas frescas, ¾ xícara (chá)
Sardinha em água, 2 latas
Ovos, 3
Sal e pimenta, a gosto
Camarão, 300 g
Ovos de codorna, 12
Camarões grandes, 12

Modo de Preparo:
Bata o tomate no liquidificador, reserve. Sue a cebola no óleo, junte o tomate, as folhas de manjericão e ferva rapidamente. Acerte o sal.
Junte ao molho a metade das ervilhas, a pupunha, a sardinha e o camarão picado. Reserve.
Umedeça as farinhas com um pouco de água e esfarele bem entre as mãos. Junte ao molho, mexendo até desgrudar da panela.
Sirva gelado.


Posts Relacionados

  • Eu tapeo, tu tapeas…Eu tapeo, tu tapeas… Nos últimos tempos, São Paulo viu pipocar pela cidade casas especializadas em tapas. A moda pegou com tanta força por aqui que ate […]
  • Histórias delas duas – e um pouco da minhaHistórias delas duas – e um pouco da minha Minha avó me deu de presente de 18 anos um Fusca usado, amarelo ovo, que batizei – olha aí a comida sempre presente na minha vida! – de […]