Minestra… Minestrone. É Sopa?


Quem pode dizer não ter pelo menos uma sopa na memória?

O creme de aspargos da tia Mercedes, o sopão da avó Maria, o puchero da Dona Marlene, o creme de ervilha que a empregada da tia Carmem fazia, a sopa de cebola da tia Dulce, o missoshiro do restaurante japonês, o caldo verde da velha tasca na Nossa Senhora de Copacabana ou o tacacá do Ver-o-Peso.

Caldo, creme, sopa, rala, encorpada, de carne, legumes, peixe, algas, tofú ou seja lá o que for, é uma das mais antigas refeições da humanidade. Cada continente, país ou região, tem sua sopa típica, popular .. sua marca registrada. Os brasileiríssimos Caldo de mocotó, Caldinho de feijão, Bambá de couve, o Missoshiro, o Caldo verde português, o Bortsch russo, Oxtail (sopa inglesa de rabada), uma típica sopa de cebola francesa (Soupe à l’Oignon), o Canh Chua dos vietnamitas, o espanholíssimo Gazpacho, o Puchero platino (que mais se assemelha a um belo cozido de legumes e carnes variadas) ou um legitimo e universalizado Minestrone italiano.

Minestrone é minestra (sopa) + one (um aumentativo), ou seja, um verdadeiro sopão italiano.

Não existe uma receita específica de minestrone, pois varia da disponibilidade dos recursos (legumes) tanto regionais, como de época. Pode ter caldo de carne, pedaços frango, carne de gado, carneiro, ou apenas legumes numa versão vegetariana. É na realidade uma sopa composta por uma grande variedade de ingredientes.

Dos cardápios de muitos restaurantes, às prateleiras de supermercados, naturais ou industrializados, o “Minestrone” está lá e sempre tem público. É realmente uma sopa clássica. Seja pela excelente combinação de sabores, pelo visual colorido e apetitoso ou seu “relativo” baixo custo, atende as expectativas dos mais exigentes paladares, tanto como entrada ou como prato principal.

As mais modernas técnicas de cocção, as mais saudáveis tendências culinária tem, ainda – e cada vez mais – um minestrone como um bom exemplo da culinaria contemporânea. Por mais antigo que seja.


Minha receita de Minestrone

Ingredientes:

  • 700 ml de caldo de carne ou de frango
  • 100g de cenoura
  • 100g de nabo
  • 100g de alho poró
  • 150g de batata
  • 60g de ervilha em grão
  • 30g de mini farfalle (gravatinhas) pré cozido
  • 50g de feijão branco pré cozido al dente
  • 2 dentes de alho amassado
  • 8 unidades de ervilha torta cortadas na diagonal
  • 1 bouquet garni
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 pedacinho de bacon
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • azeite
  • sal

modo de preparo:
Cozinhar o feijão al dente e reservar.
Cozinhar o farfaline al dente e reservar.
Fritar alho poró frito na manteiga e reservar.
Cortar o nabo a cenoura e batata em brunoise (cubos pequenos).
Dourar o alho, bacon e a cebola.
Acrescentar a cenoura, nabo e alho poró e, aos poucos, o caldo.
Acrescentar a batata e deixar cozinhar,
Colocar a ervilha, ervilha torta, feijão e o farfalle.
Retire o pedaço de bacon.
Coloque o pesto no fundo do prato, sirva em seguida o Minestrone bem quente.
Se quiser, pode colocar pedacinhos de frango, pato, carne de cordeiro, músculo desfiado.
Pode tb substituir o farfalle por tubetes (mini tubinhos).

 


Receita Pesto

  • 120g de manjericão fresco (1 maço desfolhado)
  • 1 dente de alho
  • 1/3 de xícara de pinholes
  • 3/4 de xícara de parmesão
  • 1/2 xícara de azeite
  • pimenta do reino e sal o quanto baste

nham, nham, nhma, nham … buon appetito !!!

Carla Pernambuco


Posts Relacionados