Aventura na terra dos Piratas

A imperdível Cartagena com dicas da minha amiga Patrícia Moll

 

Do Mar, dos Andes ou da Amazônia, a culinária colombiana se mostra muito rica e oferece ótimas opções. Hoje vamos até os tradicionais banquetes litorâneos que apresentam um conjunto de sabores típicos caribenhos.
Em 1499, com a chegada dos espanhóis, aquela região nunca mais foi a mesma. Estava estabelecido o Vice-Reino de Nova Granada que compreendia a Colombia de hoje, Venezuela, Equador e a região noroeste do Brasil. Em 1819 se idependizou da Espanha, chegando a fazer parte do Panamá até 1910.
Nosso destino gastronômico é Cartagena. Fundada em 1533 e como porto estratégico no Novo Mundo, foi fortemente fortificada devido aos sucessivos ataques de piratas, corsários e exércitos nos séculos XVII e XVIII.
Em 1984 foi inscrita no Patrimônio Mundial da UNESCO com o nome de “Porto, Fortalezas e Conjunto Monumental de Cartagena”.
A gastronomia colombiana é rica e capaz de fazer o visitante se apaixonar. De um lado, está a ampla oferta das receitas tradicionais de todas as regiões do país; do outro, surgem as novas experiências que aproveitam ao máximo os produtos locais para traduzir os sabores colombianos em pratos inovadores, servidos em charmosos restaurantes com ambiente de bistrô em Cartagena. Na terra do Nobel de literatura Gabriel García Márquez, a gula não é pecado.
Entre sabores odores e paisagens, uma lancha rápida bem cedinho para “Playa Blanca” (Isla de Baru). É uma praia, cristalina, muito azul, maravilhosa.
Para o almoço, um PF das praias colombianas: peixe frito, arroz de coco e patacón (discos de banana da terra verde fritos). É um o passeio para fazer todos os dias.
Vai cedo para Baru, volta no meio da tarde. Um bom banho, descansar um pouco e sair para jantar num dos muitos restaurantes da cidade.
Na volta, um passeio de carruagem nos faz viajar no tempo. A cidade é muito linda e charmosa a noite.
As frutas caribenhas são variadíssimas e diferentes: zapote, lulo, curuba, mamoncillo, uchuva, fraijoa, granadillas (parece um maracujá) e muitas outras como as conhecidas tamarindos, bananas, abacaxis, goiabas, mangas e por ai a fora.
Cartagena tem muitas opções para se comer bem. Aqui alguns lugares que merecem ser visitados.

La Cevicheria –  parece o interior de um barco. Um fantástico coquetel de camarão, um maravilhoso prato que chama Real Suprema Isla Batimento Panamá, maricos ao vinho branco no estilo moules et frites, acompanhados de patacones com suero costeño. Para beber, vamos de Cuba Libre.

Restaurante Krioyo – lugar delicioso, com jardim e música boa. Ceviche bomba com ostras, camarões, chipi chipi “con salsa golf” e um ceviche de caranguejo fresco – incrível.
Para beber, mojito de lulo, fruta ácida símbolo da Colômbia e margarita de corozo (um coquinho local).

Restaurante La Casa de Socorro – o maior sucesso do mundo, fica fora da cidade amuralhada. Enorme e sempre muito cheio. Um arroz com mariscos que acompanha suero costeño é a pedida – delícia. Para beber, a cerveja mais gostosa – “una Club Colômbia”.

À noite, com música ao vivo, tomar um drinque e dançar no Sofitel .
“Un tinto” (café de coador deles) – Café Juan Valdez, sempre!
Passar a tarde, tomando um cafezinho ou limonada, folheando muitos livros – Livraria Abaco.

Em Cartagena, opções não faltam.
Quer saber … aventure-se nesse paraíso.
E se algum galã caribenho “echar los perros” (galantear), se liga!

Receita:
Ceviche Cartagenero (4 porções)
Preparo: 40 minutos

Ingredientes:
8 ostras frescas pequenas e limpas
200 g de camarão cozido
100 g de vôngoles cozidos e sem casca

Coloque os vôngoles frescos em salmoura por 15 minutos
Salmoura = 200ml de água + 1 ½ colher (café) de sal
Retire-os da solução e coloque-os em água fervente por aproximadamente 5 minutos.
Escorra-os, espere esfriar e, em seguida, tire-os das conchas com cuidado.
Obs. Os vôngoles que não abrirem devem ser descartados.
Em uma panela com água fervente e um pouco de sal, coloque os camarões (dentro de uma peneira) e deixe-os cozinhar por 15 segundos.
Retire-os da água e passe-os em água gelada para interromper a cocção.

Para acompanhar, umas rodelas de banana-da-terra fritas, são excelentes. Os colombianos chamam de Patacones. O termo Patacon vem de Pataca, a moeda de prata portuguesa que circulavam nas colonias. No Brasil circularam de 1695 a 1834. A rodela de banana lembra uma moeda “Los Patacones”.


Posts Relacionados

  • Copa & Cozinha: Costa RicaCopa & Cozinha: Costa Rica Vereda tropical  Geralmente os brasileiros costumam ‘esnobar’ ou demonstrar indiferença perante outras comidas que não sejam as […]
  • AmaláAmalá Xangó na Feira do Livro No dia 15 deste mês, estive na Feira do Livro de Porto Alegre para o lançamento de três de meus livros, dois […]