Delicias curativas do fundo do mar

as incrível algas marinhas

Existem relatos da presença de algas na alimentação, anteriores ao ano 1000, mas com certeza eram usadas a muito mais tempo. Entre 1300 e 1500, o japoneses desenvolveram uma importante tenciona de secagem que passou a permitir a estocagem e assim, as algas puderam ser exportadas.
Com “bum” da comida japonesa no mundo inteiro, as algas (ingrediente do sushi) passaram a ser mais conhecidas e ter seu uso difundido. Para o Sushi e Temaki é usada a alga do tipo Nori.
Porém, dispomos de vários tipos e uma das mais conhecidas é a Kombu.
É muito usado na culinária do Japão como um de três principais ingredientes para fazer o “dashi” (um caldo base para varias sopas)
Ela é vendida seca, em pedaços grandes ou esfarelada (chamada de Oboro kombu).
É um item muito importante para as culinárias chinesa e coreana.
O chá de alga Kombu alcaliniza o sangue, ajudando o organismo a eliminar as gorduras de origem animal, além do mais – segundo os japoneses – é calmante, torna o raciocínio mais límpido, são depurativas e eficazes contra a insônia.
As algas têm propriedades estimulantes e reguladores. Reforçam as defesas naturais e, para quem tem arteriosclerose, as algas podem ser muito benéficas.
O sabor delicado das algas as torna fáceis de harmonizar, permitindo um amplo uso culinário.

CALDO COM FIOS DE PUPUNHA

INGREDIENTES:
– 50g coração de pupunha macio
– 1 xícara de shitake
– 1 xícara de caldo de Kombu
– 3 colheres de sopa de molho de soja
– 3 colheres de sopa de saque mirin
– sal
– broto para decorar

MODO DE PREPARO:
Para fazer o caldo de kombu, leve ao fogo baixo 20g de kombu seco e 500ml de água. Deixe cozinhar em fogo baixo durante 50 minutos. Despreze a alga e coe o caldo em uma peneira forrada com papel toalha.
Cortar a pupunha em tiras longas e finas, como um talharim. Cozinhe os fios em uma panela com água e pitada de sal por 5 minutos ou até que estejam macios.
Em uma panela, juntar o shitake, molho de soja, caldo de kombu e saque. Deixe ferver por 15 segundos para evaporar o álcool do saque. Tempere com sal e prove.
Divida o talharim em pequenos bowls de serviço, cubra com o caldo ainda quente, decore com brotos e sirva.


Posts Relacionados

  • AMORASAMORAS Um exemplo da poderosa família dos berries Em português não temos uma tradução para o termo “berries”, que são aquelas frutinhas […]
  • Uma ideia saborosa, saudável e refrescanteUma ideia saborosa, saudável e refrescante Iogurt e coalhada a qualquer hora do dia A coalhada sempre recomendação para quem tem dificuldades intestinais. É indicada para […]