Alho Negro

O super-alho está chegando
 

A última novidade que começa a “bombar”  nas publicações que propagam dietas saudáveis é o alho negro. Conhece? Já ouviu falar? Caso ainda não, em breve ouvirá e em breve o conhecerá, tenha certeza. Na verdade, o Alho Negro não se trata de uma espécie exótica –nem de algo geneticamente modificado.

Saiba que o alho negro é exatamente o alho que todos conhecem, mas que foi “escurecido” em lentos processos de fermentação e envelhecimento, a partir de equipamentos específicos. Trata-se, para resumir a sua história, da versão do alho tradicional criada há milênios por orientais que o utilizavam apenas como medicamento. (Na China existe também há tempos o “ovo de mil anos”, escurecido por outros métodos.)

A moda do alho negro começou na mesa ocidental há pouco. Um chef espanhol decidiu adicioná-lo em receitas de alta gastronomia e pronto: sucesso imediato, talvez devido à textura pastosa e sabor levemente adocicado. Na Coréia, o alho negro tem sido um suplemento alimentar há mais de mil anos, por suas muitas propriedades antioxidantes e ligadas à longevidade.

Prepará-lo exige alguns procedimentos. Toma-se o alho comum, deixando-o sob rigorosas condições de climatização e fermentação que o “esquecem” por lá. Durante o processo, participam calor,  umidade e tempo, até torná-lo bem escuro, adocicado, macio e sem o cheiro intenso dos alhos “brancos”. O processo de envelhecimento obtido em equipamentos específicos por longos períodos, aumenta os benefícios do alho para a saúde.

Surgem, assim, 18 tipos de aminoácidos, proteínas, polifenóis e dez vezes mais antioxidantes do que os encontrados no alho comum. Esse mesmo processo de envelhecimento também cria o S-arylcysteine, elemento eficaz no controle da pressão arterial, colesterol, insônia e, ufa, valendo ainda como anti-trombóticos, anti-câncer e anti-envelhecimento. Aliás, o S-arylcysteine, que nem existe no alho cru e é gerado no processo de envelhecimento, é um super-aliado para impedir tumores, colesterol, esclerose arterial, doenças do coração, Alzheimer etc.

E mais: o alho negro não deixa o aroma forte do alho natural (que muitas vezes exala da respiração de quem o consumiu), além de ser obtido sem nenhum aditivo químico –apenas por auto-fermentação. Deu para entender porquê o alho negro vai se tornar em pouquíssimo tempo um hit na comida saudável? Então adote logo esta minha receita… e bom apetite.

Arroz branco com alho negro 

Ingredientes:

350ml de arroz agulha

3 dentes de alho negro

1/2 cebola média picada

1 colher de óleo

3 copos de água

sal

Preparo:

Coloque a água pra ferver,descasque e pique a cebola e amasse o alho,em outra panela pré aquecida , você vai dourar os dois no óleo.

Refogue o arroz no alho e na cebola por 2 a 3 minuto,em seguida, acrescente a água (que a essa altura já deve estar fervendo)dê uma mexida, só pra desgrudar o arroz do fundo da panela,baixe o fogo e coloque o sal a gosto.

Deixe a água ir evaporando até você não ver mais ela sobre o arroz e quando isso acontecer, desligue o fogo e tampe bem a panela e não abra nos próximos 20 minutos, o calor vai terminar de cozinhar os grãos.

Servir com paçoquinha úmida de carne,caldo de feijão,couve muito fininha,bananinha ouro a milanesa,molho de pimenta

 


Posts Relacionados

  • TofuTofu O super-alimento O mundo adotou de vez o tofu nas receitas contemporâneas. Embora na Ásia não seja comum utilizar esse “queijo” […]
  • ABACATEABACATE Ontem falamos do amaranto e hoje vamos a outro alimento “brotado” do México: o abacate. A fruta teve origem há mais de sete milênios e […]