Feijão com arroz

Balaio

Uma dupla dinâmica 

Dias atrás, uma notícia curiosa se espalhou pelos jornais: a rede McDonalds estaria vendendo pratos de feijão com arroz! Todos se espantaram. Ninguém imaginaria que a maior cadeia mundial de lanches industrializados, cujas receitas são bastante questionadas (embora o imenso público de consumidores jamais se importe com as denúncias), tivesse incluído em seu cardápio o tão simplório feijão com arroz. Imediatamente os executivos da rede declararam que “sempre existiu” esse prato nas lojas do MacDonald’s. E que apenas não eram anunciados no menu. Aham… Sei.

A história verdadeira é que os funcionários da rede sempre tiveram a opção de comer feijão com arroz nas refeições feitas no trabalho. E os clientes que desejassem a opção, “bastaria pedir”. No começo, muita gente resolveu provar. E observou-se que os caixas sequer sabiam como cobrar aquele prato “exótico” no meio de hambúrgueres, nuggets e sorvetes. Enfim, agora o feijão com arroz agora está “oficializado” no McDonald’s. Muito bem.

Então aproveito para defender o nosso tão tradicional feijão com arroz, prato típico brasileiro. A receita, aliás, seria resultado da combinação do arroz (de origem oriental), trazido pelos portugueses, com o feijão –que os indígenas nativos já apreciavam. (Historiadores apontam o Brasil como o primeiro país a cultivar feijão nas Américas.) O arroz, por sua vez, também não era inteiramente desconhecido: os tupis o chamavam de “milho d’água” (abati-uaupé), bem antes da chegada dos europeus e colhiam seus grãos nos alagados do litoral.

Outra versão garante ser o feijão com arroz um prato que combina influências africanas e portuguesas. Em Cuba, por exemplo, o chamam de “mouros e cristãos”. O importante é perceber que, ao longo de centenas de anos,  o feijão com arroz virou refeição obrigatória dos brasileiros. Pena que o seu consumo tenha decrescido mais de 30%. Lamentável, mesmo. Porque um prato contêm apenas 151 calorias, zero de gordura trans, 6% de potássio, 9% de proteínas, 8% de ferro, 6% de vitamina B, 3% de cálcio e outros benefícios mais. Como dizia aquela antiga musica de Gonzaguinha, “feijão tem gosto de festa”. Se combinado com o arroz, têm sabor de saúde. Viva essa dupla!

 


Posts Relacionados

  • Cenoura orgânicaCenoura orgânica Um vegetal vale-tudo Adivinhe quem está de volta com força total na culinária moderna? A cenoura. Esse popular vegetal-raiz, […]
  • Copa & Cozinha: AcarajéCopa & Cozinha: Acarajé Por que a FIFA vetou o acarajé? Absurdo total a FIFA ter proibido que baianas de acarajé vendessem seus quitutes nas áreas próximas […]